Notícia

”É o passaporte para uma vida nova”, diz Queiroga durante vacinação em massa na Ilha de Paquetá (RJ)

Foto: Marina Pagno/ MS
A ilha de Paquetá (RJ) está sendo palco, neste domingo (20/6), de um projeto de vacinação em massa contra a Covid-19. Todos os moradores acima de 18 anos receberão a primeira dose da vacina, com o objetivo de fazer estudos para avaliar o impacto da imunização em larga escala. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve na ilha para participar da ação e reforçar o compromisso do Governo Federal no combate à pandemia.

“Até o final do ano, toda a população brasileira acima de 18 anos será imunizada contra a Covid-19, com as duas doses da vacina. O passaporte para a nossa liberdade. O passaporte para uma vida nova, para o povo de Paquetá, do Rio de Janeiro e do Brasil”, disse o ministro.

Queiroga ressaltou a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Programa Nacional de Imunizações (PNI) na campanha de vacinação contra a Covid-19. Até o momento, mais de 115 milhões de doses já foram entregues pela pasta aos estados e ao DF.

“Para enfrentar o vírus, a principal ferramenta é o SUS e a união, no princípio tripartite, da gestão do SUS. A sua eficiência é certeza de que nós haveremos de vencer nosso único inimigo, que é o vírus”, afirmou.

EMOÇÃO

Queiroga vacinou diversos moradores da ilha nos pontos de vacinação. Eles não esconderam a emoção e a esperança ao receber a primeira dose.

“A sensação é de felicidade, de saber que a gente está vacinando todo mundo”, disse Jessica Barreto, após receber a aplicação da vacina pelas mãos do ministro.

“Me sinto mais segura. É uma esperança de que os dias fiquem melhores. Não estamos isentos de pegar a doença, mas pelo menos ela vem mais branda e leve”, afirmou a moradora Cristiane Rizon.

Isabel Cristina Vieira Gomes caracterizou o momento como uma vitória de todos: “É um alívio total. Estava esperando demais esse momento. Paquetá ser escolhida para esse estudo foi um presente”, falou.

A vacina utilizada no estudo é a da AstraZeneca/Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O projeto foi feito em parceria com a instituição e a Prefeitura do Rio de Janeiro.

“Já temos os dados de outros estudos, como os realizados no Reino Unido, em que se mostrou uma eficácia de mais de 90% da vacina Covid-19 produzida pela Fiocruz. Vacinar é sempre muita emoção, principalmente quando pensamos na importância de termos pesquisas que avaliem o impacto e a proteção que a vacina confere”, disse a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade.

O ESTUDO

A vacinação em massa em Paquetá seguiu o modelo já realizado nas cidades paulistas de Serrana e Botucatu. A ideia do projeto é mapear os efeitos da vacinação em larga escala naquela população, com o objetivo de avaliar a segurança do imunizante de uma maneira geral e entender como a vacina também atua na proteção de pessoas que não foram imunizadas por conta da faixa etária, como crianças e adolescentes.

Mais de 4,1 mil pessoas moram em Paquetá. Apenas a população que reside na localidade será vacinada, conforme os cadastros existentes na Estratégia Saúde da Família.

Atualmente, no município, 3.530 moradores são maiores de 18 anos. Desses, mais de 1,8 mil já recebeu a primeira dose da vacina Covid-19. O restante da população-alvo (cerca de 1,6 mil pessoas) deve ser vacinado ao longo deste domingo. A segunda dose será realizada em agosto.

Por: Marina Pagno

Fonte: Ministério da Saúde

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.