Rural

Alerta sanitário para a raiva herbívora é emitido pela Secretaria Estadual da Agricultura

Foto: Prefeitura de Itacurubi 


A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul (SEAPDR) emitiu nesta quarta-feira (23) um Alerta Sanitário para a raiva dos herbívoros. A medida ocorre após a constatação de focos da doença no município de Itacurubi e em outros cinco municípios gaúchos: Santo Cristo, Guaíba, São Francisco de Paula, Palmitinho e Lagoa Vermelha.

A Secretaria Estadual alerta para uma possível evolução dos focos para os municípios de Unistalda, Capão do Cipó, Santiago, Bossoroca, São Borja, Capina das Missões, Cândido Godói, São Paulo das Missões, Porto Lucena, Porto Xavier, Santo Antônio das Missões, Vista Alegre, Taquaruçu do Sul, Erval Seco, Ibiraiaras, Caseiros, Capão Bonito do Sul, Muitos Capões, Canela, Três Coroas, Taquara, Rolante, Glorinha, Caraá, Riozinho, Eldorado do Sul, Mariana Pimentel, Barra do Ribeiro e Porto Alegre.

Considerando que a raiva se controla de forma preventiva, a SEAPDR reitera a necessidade da vacinação e revacinação nos animais suscetíveis. Devido ao grande número de agressões nos bovinos em localidades destes municípios sem o conhecimento e a identificação de refúgios de morcegos, o órgão reitera a necessidade da identificação e a localização de novos refúgios.

O alerta é assinado pelo coordenador do Programa Raiva e EEB da SEAPDR Wilson Hoffmeister Junior.

A DOENÇA

A raiva ainda é uma das mais importantes causas de mortalidade em herbívoros no Brasil, especialmente nos bovinos. Ela é uma doença letal causada por um vírus, que pode acometer todos os mamíferos, inclusive os seres humanos e é transmitida por meio da arranhadura, mordedura ou lambedura de animais raivosos.

A raiva bovina transmitida por morcegos hematófagos (vampiros) existe apenas em países localizados entre o norte do México e o norte da Argentina, onde estes morcegos ocorrem. As primeiras descrições da raiva em bovinos no Brasil foram feitas nos anos de 1907 a 1911 no Estado de Santa Catarina.

A forma mais comum da manifestação da raiva nos bovinos é a paralítica, porém pode ocorrer a forma furiosa. O sintoma inicial é o afastamento dos animais do resto do rebanho, apresentando certa apatia e perda do apetite. Ficam, geralmente de cabeça baixa e indiferentes ao que se passa ao seu redor. Seguem-se outros sintomas como aumento da sensibilidade e coceira na região da mordida, hiper-excitabilidade, salivação abundante e viscosa e dificuldade para engolir.

Fonte: Rádio Missioneira

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.