Artigo

Carne gaúcha com fama internacional

Silvana Covatti, secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

POR SILVANA COVATTI

Este 27 de maio de 2021 passa a ser uma data referencial para a pecuária gaúcha. Neste dia, o Rio Grande do Sul conquistou um marco histórico, o reconhecimento internacional de área livre de febre aftosa sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). A partir deste novo status, o mundo passa a olhar nossos produtos com maior confiabilidade, o que garantirá a toda a cadeia de carnes novas perspectivas de acessos a mercados até então fechados.

Esta conquista começa a ser mensurada em números pelo setor do agronegócio, mas refletirá em toda a economia do Estado. Estima-se que o setor produtivo de carnes poderá ampliar em US$ 1,2 bilhão ao ano o seu volume de negócios a partir do nosso novo status sanitário. Um dos impactos será a geração de mais empregos, de mais renda aos produtores rurais, aumento no volume de produtos destinados à exportação, mais dinheiro circulando no Estado, mais otimismo para alavancar novos investimentos.

Esta façanha foi construída ao longo dos últimos anos, com esforço de toda a equipe de servidores da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), da iniciativa privada, das entidades representativas do setor e dos produtores rurais que mantiveram seu rebanho livre desta doença e de seus graves efeitos. Sob gestão do então secretário Covatti Filho, nos últimos anos, todos os esforços foram canalizados para colocar em conformidade todas as exigências do Ministério da Agricultura que nos credenciaram a chegar a este momento.

A partir de agora, estaremos empenhados em manter este patamar alcançado e ajudar o setor a abrir novas fronteiras. Cerca de 70% dos potenciais mercados aplicavam barreiras às carnes produzidas no Rio Grande do Sul porque carecíamos desta certificação internacional. Para se ter uma ideia da importância deste novo status, a projeção é que somente a nossa indústria de carne suína registre aumento nas exportações na ordem de R$ 600 milhões anuais, com o acesso, entre outros, a mercado bastante exigentes como Japão, Estados Unidos, Coreia do Sul e China (carne com osso).

Este é um momento de comemoração da agropecuária gaúcha que, com certeza, saberá aproveitar da melhor forma como mostrar sua grandeza para todo o planeta.

Secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.