Notícia

Pai doa parte do fígado para bebê de cinco meses em Porto Alegre

Heron doou parte do fígado para o filho, Matheus, de cinco meses — Foto: Arquivo Pessoal
Um bebê de cinco meses recebeu doação de parte do fígado do pai, em Porto Alegre. O casal Louise e Heron Baasch, de Florianópolis, em Santa Catarina, foi encaminhado ao Hospital da Criança Santo Antônio, após a doença do filho, Matheus, evoluir rapidamente.

A cirurgia foi em 4 de janeiro, e o bebê teve alta no dia 30. Matheus ainda é monitorado pelos médicos, e a família aguarda a liberação para retornar a SC.

A criança nasceu no dia 22 de agosto de 2020 e, após alguns dias, apresentou os primeiros sintomas: a família percebeu que ele estava ficando com a pele amarelada.

Depois da realização de exames, veio o diagnóstico de deficiência de alfa 1 antitripsina, doença genética que atinge o fígado. A realização de um transplante era a única solução.

“Fiquei sem chão, é o pesadelo de toda mãe descobrir que seu filho tem uma doença tão séria. Só de ouvir falar na possibilidade de um transplante, meu sangue gelou. Pensar em um bebezinho tão pequeno – que até então vivia no colo - em um centro cirúrgico, não parece fazer sentido”, relembra Louise.

A doença progrediu rapidamente e a família foi encaminhada para a Santa Casa de Porto Alegre. Matheus, então com apenas quatro meses, precisava urgentemente de um doador de órgãos compatível. Depois da realização de exames, os médicos descobriram que o pai da criança poderia doar uma parte do fígado.

“Fiquei com muito medo de não ser compatível com ele, pois somos de grupos sanguíneos diferentes, mas, felizmente, a realização do transplante foi possível, e isso tirou um peso enorme das nossas costas”, desabafa Heron.

A cirurgia durou 12 horas. A médica gastroenterologista pediátrica Melina Melere lembra que Matheus teve uma piora no quadro de saúde e o procedimento precisou ser adiantado.

Família vai permanecer em Porto Alegre para acompanhamento médico — Foto: Arquivo Pessoal
“Tomamos um susto muito grande, pois liberei ele para passar as festas de final de ano em casa, mas ele ficou muito mal, com grandes chances de não resistir a uma viagem até Porto Alegre. Então, manejamos a situação à distância, por telefone, e assim que chegaram, o internamos imediatamente na UTI, em estado muito grave”.

A cirurgia foi bem sucedida, e a família agora aguarda a liberação para voltar para casa.

“Agora que o pior já passou, estamos extremamente agradecidos por ter nosso menininho querido de volta, agradecidos a Deus por esse milagre e à equipe da Santa Casa pelo trabalho fantástico. É maravilhoso poder voltar a pensar no futuro dele, ter um bebê - que apesar de alguns cuidados especiais - é um bebê normal, que gosta de um colinho, sorri o dia inteiro e se desenvolve”, comemora Louise Baasch.

Fonte: G1 RS 

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.