Artigo

Precisamos de todos contra a covid-19

Cynthia Goulart Molina-Bastos, diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) - Foto: Neusa Jerusalém / Ascom SES

A pandemia da covid-19 modificou a realidade e o planejamento das pessoas em todo mundo. As incertezas sobre a doença e os efeitos na economia mundial afetam cada cidadão de forma particular. As medidas conhecidas para combater a transmissão do vírus passam pela conscientização individual, modificação de hábitos e um desejo coletivo de união com o propósito de vencer o verdadeiro inimigo: o Sars-CoV-2.

O aumento progressivo e proporcional de exames positivos, a ocupação de leitos clínicos e de terapia intensiva revelam a piora gradual, até chegarmos ao cenário atual. O cansaço invade toda a população e o desejo de voltar ao normal, ou o novo normal, extrapola a capacidade de respeitar todos os protocolos – que em algumas situações podem parecer exagerados.

No entanto, a solução não é individual. O problema é de toda sociedade. O cumprimento dos protocolos sanitários só será possível se toda a população assumir a responsabilidade e se unir em prol do benefício de todos.

A cada vida que perdemos para a covid-19, familiares e amigos sofrem. Uma equipe de profissionais de saúde vive o peso da derrota. Ao sair de uma UTI, ou ao contar os dias de quarentena, ou após chorar a perda de um ente querido todos enxergam pessoas aglomeradas em parques, bares e salões de festas. Neste momento, os sentimentos de frustração, desesperança e desespero consomem a energia e o ideal de um grupo que atua 24 horas por dia nos sete dias da semana desde março. Os profissionais da saúde também estão cansados. Assim como a população está cansada.

Será que quem perdeu alguém para a covid-19 lamenta não ter ficado em casa, não ter ido na festa, não ter tido contato com o colega, não ter trabalhado em seu local de trabalho. Não tenha essa dúvida. Chegou o momento de união, responsabilidade, solidariedade e apoio coletivo.

Para entrar nesta batalha conosco, veja o que você pode fazer:

1. Higienize as mãos frequentemente. Várias vezes ao dia, ao menos uma vez a cada hora.

2. Higienize as mãos antes da alimentação e antes de levar as mãos ao rosto.

3. Evite tocar boca, olhos e nariz, sem antes lavar ou higienizar as mãos.

4. Utilize máscara regularmente, em todas as situações em que você possa encontrar pessoas que não moram na sua casa.

5. Utilize a máscara de forma adequada. A máscara deve cobrir o nariz e a boca, não deve ser tocada. Sempre que precisar tocar na máscara higienize as mãos antes e depois com água e sabão ou álcool gel.

6. Mantenha distanciamento mínimo de um metro de pessoas com máscara.

7. Não se aproxime de pessoas sem máscara.

8. Higienize regularmente áreas e superfícies de toque intenso em ambientes públicos ou compartilhados com pessoas que não moram na mesma casa que você.

9. Proteja pessoas do grupo de risco. Auxilie levando compras de forma segura, por exemplo.

10. Evite contato físico com pessoas do grupo de risco. Você pode manter contato afetivo, emocional e virtual. Evite apenas o contato físico.

11. Elogie e parabenize estabelecimentos que cumprem os protocolos preconizados.

12. Denuncie, reclame e evite estabelecimentos que não cumprem as medidas protetivas.

13. Não frequente ou entre em estabelecimentos em que não exista controle e limitação do número de usuários ou clientes.

14. Não realize ou frequente festas, encontros ou jantares com pessoas que não moram na sua casa. Não é momento para realizar visitas.

15. Se você apresentar sintomas respiratórios, não vá ao trabalho ou ao supermercado. Fique em casa ou procure atendimento médico.

16. Se tiver sintomas, não faça teste antes de três dias. Se um familiar apresentar exame positivo, fique em casa.

17. Se você coletar exame para covid-19, fique em casa até o resultado do teste. Saia apenas para consultas médicas de urgência ou emergência.

18. Não frequente ambientes fechados com pessoas que não moram na sua casa. Mantenha janelas abertas, favorecendo circulação cruzada de ar. Garanta que as pessoas estejam sempre de máscara.

19. Não consuma alimentos líquidos ou sólidos em locais sem os cuidados devidos: distanciamento físico, higienização de superfícies, pessoas sentadas e limitação de público.

É hora de pensar no todo com cada um fazendo a sua parte.

Diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs)

Artigo publicado no site do Governo do Estado do Rio Grande do Sul 

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.