Rural

Acesso ao crédito contribui com melhorias nas propriedades e enfrentamento a dificuldades no meio rural

Crédito da foto: José Schafer
Diante do baixo acumulado de chuvas registrado na Fronteira Noroeste e nas Missões nos últimos meses, estratégias de enfrentamento aos efeitos da estiagem estão sendo discutidas pela Emater/RS-Ascar - vinculada à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) - com lideranças, conselhos municipais e entidades voltadas à agricultura. O acesso ao crédito tem se mostrado um diferencial, seja nas linhas de custeio que permitem o financiamento das áreas ou de investimento, que viabilizam a reservação de água e implantação de sistemas de irrigação, por exemplo, entre outras possibilidades. Por outro lado, nos casos em que são consolidadas perdas, o acesso ao seguro agrícola, a exemplo do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) tem se mostrado um diferencial.

O Proagro ainda é a principal política de seguro agrícola para pequenos e médios produtores, garantindo a exoneração de obrigações financeiras em áreas financiadas pelo crédito rural de custeio, em caso de fenômenos naturais adversos e pragas ou doenças que atinjam o rebanho e lavouras. Ele pode ser assegurado na maioria das instituições financeiras. Em virtude de intempéries como as geadas, para as quais foram realizadas 1.698 vistorias de Proagro pela Emater/RS-Ascar em lavouras de inverno na região de Santa Rosa, neste ano, sendo 1.637 em lavouras de trigo e 61de canola.

Com os primeiros efeitos da faltas de chuva, até o dia 17 de novembro foram recebidos 96 pedidos de vistorias de Proagro pela Emater/RS-Ascar em lavouras de milho da região, referentes à safra atual.

Para além do crédito, o gerente regional adjunto da Emater/RS-Ascar José Vanderlei Waschburger destaca que foi realizado levantamento nas primeiras semanas de novembro por técnicos dos escritórios municipais da Emater/RS-Ascar, conselhos, entidades representativas e órgãos municipais da agricultura, que apresentaram proposições de estratégias a serem adotadas pelos municípios da Fronteira Noroeste para amenizar os efeitos da estiagem. Entre elas estão medidas a serem adotadas pelos municípios, que já decretaram situação de emergência, como a abertura de bebedouros para dessedentação animal, disponibilização de recursos para a manutenção de redes de água, implantação de sistemas de irrigação especialmente em pastagens e produção de hortaliças, proteção de nascentes de água, solicitação junto aos órgãos competentes de ampliação do período de zoneamento agrícola para o mês de janeiro, solicitação para liberação de áreas implantadas com milho que possuem financiamento para a implantação de nova cultura, disponibilização de novas sementes de milho no Programa Troca-Troca, criação de agenda regional com informações sobre disponibilidade de feno e pré-secado, criação de linhas de crédito, entre outras estratégias que auxiliem os agricultores que enfrentam dificuldades em função da estiagem que tende a se prolongar durante o período de primavera e verão.

A reservação de água e a irrigação também são estratégias importantes no período de enfrentamento à estiagem. Nos últimos anos, na região de Santa Rosa, já foram elaborados pela Emater/RS-Ascar mais de 2.200 projetos de açudes e mais de 1.700 sistemas de irrigação. Destes últimos, em torno de 75% são voltados a áreas com pastagens, sendo que as demais se destinam a outras culturas como o milho, olerícolas, frutas, alfafa, entre outros.

Está em desenvolvimento o Programa Estadual de Apoio à Ampliação da Infraestrutura Rural, da Seapdr, que viabilizará a construção de 90 açudes na região de Santa Rosa nos próximos meses, com projetos elaborados pela Emater/RS-Ascar, sendo o propósito principal a reservação de água para usos múltiplos, especialmente para a expansão da prática de irrigação como forma de contribuir com maior estabilidade nas produções agropecuárias diante das recorrentes estiagens.

Outras modalidades de crédito agropecuário

Existem atualmente políticas públicas que contemplam o crédito rural a nível federal, estadual e municipal. Através do Plano Safra 2020/2021 do Governo Federal, está sendo disponibilizado um total de R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária. “Seja para custeio, investimento, comercialização e seguro, o êxito do acesso ao crédito sempre dependerá de seu aproveitamento consciente e sustentável”, observa o extensionista do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, Fernando Luís Berwanger.

Na esfera estadual destacam-se programas como o Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper), da Seapdr, que apoia diversas atividades e projetos, visando o desenvolvimento da agricultura familiar, como agroindústrias, pecuária familiar, acesso a mercados, ampliação da infraestrutura rural e programas que estimulam a permanência do jovem no campo.

Outro grande destaque de abrangência nacional é o Pronaf, operado pela grande maioria dos agentes financeiros, com linhas voltadas à compra de insumos agrícolas, maquinário, investimento em agroindústria, moradias, bem como modalidades voltadas a mulheres, jovens, entre outros. Os projetos técnicos e de crédito podem ser elaborados junto aos escritórios municipais da Emater/RS-Ascar.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional Santa Rosa


About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.