Eleições

Abstenção supera votação da candidata derrotada Manuela D'Ávila no segundo turno

 Número de abstenções recua, mas segue alto em Porto Alegre. Praticamente um terço do eleitorado da Capital decidiu não votar

Em um movimento contrário ao de 2016, o número de abstenções em Porto Alegre reduziu do primeiro para o segundo turno, mas seguiu em um patamar superior aos 30%. Se em 15 de novembro foram 358.217 eleitores que não compareceram às urnas (33,08%), no segundo turno deste domingo, 354.692 (32,76%) optaram por não votar. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na comparação, foram mais abstenções do que votos em Manuela D'Ávila – que teve 307.745 votos. E o número de abstenções somado aos votos em brancos, que totalizaram 20.938, ou aos anulados (28.801), supera a votação do prefeito eleito, Sebastião Melo, que recebeu 370.550 votos dos porto-alegrenses.

A quantidade de abstenções já havia sido grande em 2016, no pleito vencido por Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Na ocasião, no primeiro turno foram 247.240 – o equivalente a 22,51% – e cresceu no segundo, chegando a 277.521 abstenções (25,26%).  

Abstenções altas também no interior

Porto Alegre foi a cidade gaúcha com maior percentual de abstenção no segundo turno das eleições 2020. Em Canoas, na Região Metropolitana, foram contabilizados 171.316 votos. A abstenção foi de 79.388 (31,67%). Já em Santa Maria, na região Central do Estado, o total de votos computados foi 140.266 e 64.016 (31,34%) eleitores não foram às urnas. No município de Pelotas, na região Sul, 170.162 pessoas votaram e 70.786 (29,38%) não compareceram aos locais de votação. Em Caxias do Sul, na Serra, foram contabilizados 249.045 votos e a abstenção ficou em 25,37%, pois 84.651 não votaram

Fonte: Correio do Povo

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.