Notícia

Aumento no preço do arroz já era esperado por conta da produção menor, explica senador Luiz Carlos Heinze

Créditos: Reprodução/Internet
O presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Sanzovo Neto, disse ontem que a entidade vai orientar a população para que substitua o consumo de arroz por macarrão. Ele também não soube estimar prazo para quando o preço de venda do produto nas gôndolas vai voltar “ao normal”, uma vez que depende de uma série de ações, inclusive do governo federal. Já se tem notícias de 5kg de arroz custando mais de 40 reais e o governo federal anunciou que vai zerar o imposto da importação do arroz até o fim deste ano para minimizar o preço.

O senador Luiz Carlos Heinze (Progressistas) é um produtor de arroz gaúcho e representa o estado junto ao Governo Federal. De acordo com parlamentar já era esperado que o arroz subisse de preço. A área de produção do cereal caiu nos últimos anos 160 mil hectares diminuindo a oferta de arroz no Rio Grande do Sul. O Estado tem mais de 70% da produção interna do produto. A exportação e o consumo aumentaram durante a pandemia e isso fez com que os preços se elevassem.

Heinze ressaltou que o país tem arroz suficiente para abastecer o mercado até a próxima safra, porém o agricultor não tem mais o produto em estoque e não tem culpa no preço atual. A maior parte foi vendida e exportada. Agora o Brasil precisará compra arroz de fora e, para tentar baratear o item, o imposto de importação foi zerado, porém a qualidade do produto externo é muito inferior. O senador ressaltou que todos os produtos agrícolas em geral subiram de preço e isso afeta muito a vida dos brasileiros. Além disso, o senador explicou que a redução no preço será muito pequena e dificilmente o arroz voltará a ser vendido com os valores de antes da pandemia.

O parlamentar acredita que a campanha da Abras para que o consumidor substitua o arroz pelo macarrão pode contribuir para o preço cair um pouco, pois diminuirá a procura pelo item. Porém, para Heinze, o mais importante é que as grandes redes de supermercados e as indústrias tenham bom senso neste momento e busquem um meio termo para não sobrar a conta somente para o trabalhador. Em relação ao preço do feijão, o parlamentar acredita quem em algumas semanas o valor vai cair, sendo que a safra já iniciou em várias regiões do Brasil, fazendo assim com que a oferta do produto aumente.

Fonte: Rádio Uirapuru


About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.