Polícia

Grávida é assassinada e tem bebê retirado da barriga em Santa Catarina

 A "amiga" de infância atraiu a vítima para um local e a matou com um golpe de tijolo na cabeça. A acusada usou um canivete para retirar o bebê do ventre da gestante.  

Corpo de mulher grávida que estava desaparecida foi localizado em Canelinha — Foto: Lucas Eccel/Rádio Clube fm 88.5
Um crime chocante foi registrado no estado de Santa Catarina. A grávida de 24 anos, que estava desaparecida desde a tarde desta quinta-feira (27), em Canelinha Santa Catarina, foi encontrada morta nesta sexta-feira (28). Ela teve o seu bebê retirado da barriga antes de ter sido encontrada pela Polícia Militar na cidade de São João Batista. 

A vítima estava grávida de 9 meses e o seu corpo foi encontrado em uma cerâmica de São João Batista. Ela teria sido morta para que o bebê fosse roubado e a assassina seria uma conhecida.

Duas pessoas suspeitas de terem envolvimento no assassinato foram presas. A mulher presa teria dado entrada no hospital alegando que teve o filho em casa, mas as enfermeiras, ao desconfiarem da conversa, acionaram a polícia que realizou a prisão. 

De acordo com informações do Portal NSC, em depoimento à Polícia Civil, a mulher informou que teria matado a vítima com um golpe de tijolo na cabeça e usado um canivete para retirar o bebê do ventre da gestante. A mulher grávida saiu de casa de carona para participar de um chá de bebê surpresa. A acusada admitiu que teria contado à vítima a história do chá de bebê para atraí-la. Ainda conforme o depoimento, ao chegar no local, ela aproveitou o momento em que a vítima estava de costas para dar um golpe com tijolo na grávida. 

A acusada disse que também estava grávida, mas que perdeu o bebê há cerca de dois meses e que não contou para os familiares por causa da expectativa que eles haviam criado. Por causa disso, teria tido a ideia de “pegar” o bebê da vítima, de quem era amiga desde a infância.

"A suspeita que seria amiga da vítima foi presa e confessou o crime. Ela disse que estava grávida e teria perdido a criança há 2 ou 3 meses, mas não comunicou aos familiares, inclusive nem teria falado para o marido, que estaria muito empolgado com a gravidez dela. Ela disse que iria fazer um Chá de Bebê e convidou a vítima para participar. Mas, acabou levando ela para uma cerâmica desativada e a atingiu a vítima com tijoladas na cabeça. Depois, com um estilete cortou a barriga dela para tirar o bebê. A ideia era matar a mulher e ficar com a criança", explicou o delegado Paulo Alexandre Freisleben da Silva.

O estilete foi encontrado no local do crime. De acordo com a Polícia Civil, o companheiro da acusada foi detido e durante os primeiros esclarecimentos ao delegado, afirmou que não teria participado da morte da mulher.

Fonte: Portal NSC e G1 SC


About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.