Notícia

Traficante condenado até 2055 vai pra casa por causa da pandemia

Ele que é réu por financiar túnel do Presídio Central, recebeu prisão domiciliar e deixou a mesma cadeia pela porta da frente.

Foto: Reprodução / GaúchaZH
A Justiça determinou a prisão domiciliar para Fábio Roberto Souza Nunes, de 49 anos, por integrar o grupo de risco para a covid-19. Traficante conhecido como Kapa, ele é considerado um dos líderes de uma das maiores facções do tráfico de drogas do Rio Grande do Sul, somando pena a cumprir até o ano de 2055.

Em 2017, Nunes foi denunciado pelo Ministério Público (MP) por ser identificado como um dos responsáveis pelo financiamento da construção de um túnel para a fuga em massa da maior casa prisional do Estado, o Presídio Central de Porto Alegre. Na segunda-feira (20), ele deixou a mesma cadeia pela porta da frente.

Segundo o Núcleo de Inteligência do MP, Kapa já fugiu quatro vezes do cárcere desde que foi preso, em 1997, e já foi condenado pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e furto, além de ser réu no processo sobre o túnel. Há tês anos, a Polícia Civil chegou a solicitar que ele fosse removido para um presídio federal, mas a solicitação não foi aceita.

A autorização para a saída do criminoso tem prazo de 90 dias e foi da juíza Sonáli da Cruz Zluhan, da Vara de Execuções Criminais (VEC). A magistrada levou em consideração as condições do presídio e um laudo de um médico, que atesta que Nunes é do grupo de risco:

— Como a casa prisional já possui vários presos infectados pelo vírus, foi concedida a prisão domiciliar humanitária, pois não há lugar suficiente para isolamento interno dos presos e tampouco leitos para atender toda a demanda hospitalar de apenados.

O coordenador do Núcleo de Inteligência do MP, Marcelo Tubino, discorda da decisão. Ele adiantou que a promotoria de execução criminal vai recorrer. Ainda pontuou que Kapa possui posição de destaque na facção.

— É uma figura importante dentro dessa organização. No caso do túnel, a investigação bem demonstrou que ele forneceu todos os recursos financeiros para que aquela obra, com elevado aporte financeiro, fosse realizada — declarou o promotor, que também trabalhou no caso do túnel. 

Fonte: GaúchaZH

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.