Notícia

Cresce a busca por atendimentos em saúde mental no RS durante a pandemia, aponta pesquisa

Principais sintomas são ansiedade, nervosismo, tensão, perturbação de sono e uso abusivo de álcool ou medicamentos.

Centro Histórico de Porto Alegre. — Foto: Alex Rocha/PMPA
Um levantamento feito pela Secretaria Estadual da Saúde mostra que aumentou a busca por atendimento em saúde mental no Rio Grande do Sul desde o início da pandemia de coronavírus.

Nos serviços da atenção básica (como nas Unidades Básicas e Estratégia Saúde da Família), 78% gestores municipais perceberam um aumento na demanda de atendimentos em saúde mental.

Já nos serviços da atenção especializada (Centros de Atenção Psicossocial), o aumento foi relatado por 68% dos gestores.

A pesquisa foi realizada pela Coordenação Estadual de Saúde Mental com gestores de 402 municípios gaúchos que responderam a um questionário.

Os principais sintomas que estão fazendo com que as pessoas procurarem ajuda são ansiedade, nervosismo, tensão, perturbação de sono e uso abusivo de álcool ou medicamentos.

"Isso é muito subjetivo. O que se deve questionar é o quanto essas perturbações estão atrapalhando no seu dia a dia", explica a coordenadora da Saúde Mental, Marilise Souza.

Segundo a SES, as taxas de internação hospitalar por transtornos mentais e comportamentais não tiveram aumento nos primeiros quatro meses deste ano. Foram 9.919 internações entre janeiro e abril de 2020 contra 10.896 internações no mesmo período de 2019.

Para preparar as cidades, a SES recomenda aos gestores municipais a elaboração de Planos de Cuidados em Saúde Mental e Apoio Psicossocial.

Como procurar ajuda
Quem precisa de apoio profissional pode fazer um atendimento online gratuito pelo Projeto ReviraSaúde, da Secretaria da Saúde em parceria com outras instituições e universidades.

Os profissionais cadastrados são de diversas áreas e disponibilizam atendimento por telefone, WhatsApp, Skype, Facebook ou outro contato online.

Cuidados com saúde mental
Veja algumas dicas da SES e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para manter a mente saudável durante o isolamento social:

  • Procure manter as rotinas de sono, faça exercícios físicos e tenha uma alimentação saudável.
  • Cuidar dos outros também faz bem. A solidariedade faz bem para quem a recebe e também para a saúde mental de quem a faz.
  • Não se exponha tanto às informações ao longo do dia. Procure fontes confiáveis e em alguns horários específicos. É importante se manter informado, mas o excesso pode causar ansiedade ou estresse.
  • Evite o uso de tabaco, álcool e outras drogas.
  • Mantenha o contato virtual com familiares e amigos frequentemente.
  • Esteja alerta aos sinais de estresse e raiva nas crianças e idosos que estão sob nossa tutela. Explicar a essas pessoas a importância de se proteger e tentar acalmá-los.
  • Ajude as crianças a se expressarem, com atividades criativas e lúdicas.
  • Para os profissionais de saúde, não é porque está passando por um momento de maior ansiedade que você seja incapaz de realizar seu trabalho ou que seja uma pessoa fraca. É indispensável fazer pausas entre os turnos, e mesmo durante o turno de trabalho.
  • Buscar o sistema de saúde quando for realmente necessário.

Fonte: G1 RS

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.