Rural

1º semestre: importação de soja do Brasil é quase 3 vezes maior em 2020

Segundo o Cepea, a razão é o baixo volume excedente disponível para processamento interno no país. 

Foto: Canal Rural
Com volume recorde de soja exportado no primeiro semestre, empresas domésticas começam a ter dificuldades em se abastecer, segundo informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Empresas do Sul do país, inclusive, já importam a soja do Mercosul. O resultado é que no primeiro semestre deste ano, o Brasil importou quase 3 vezes mais soja do que no mesmo período de 2019.

Em junho, o Brasil comprou 90 mil toneladas de soja (praticamente tudo do Paraguai), mais que o dobro do adquirido em maio (43 mil toneladas) e o maior volume mensal importado desde 2016 (em junho de 2016 o país importou 98,4 mil toneladas de soja), de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

E não foi só em junho que o país comprou mais. o semestre inteiro registrou um incremento nas quantidades de soja importadas em 2020. De janeiro a junho o Brasil já importou 292 mil toneladas do exterior. Desse total, 272,3 mil toneladas vieram do Paraguai, 18 mil toneladas da Argentina e 1,43 mil do Uruguai. O restante veio dos Estados Unidos e países da Europa.

Essas 292 mil toneladas no acumulado do 1º semestre de 2020 só não foi maior que o registrado no mesmo período de 2016, quando o Brasil comprou 360 mil toneladas. Vale ressaltar também que o montante atual representa quase o triplo do adquirido de janeiro a junho do ano passado.

Com a baixa oferta de matéria-prima e a crescente demanda externa por óleo de soja, os preços deste derivado e os prêmios para exportação seguem atingindo novos recordes, segundo dados do Cepea. As indústrias de biodiesel também estão ativas – algumas fábricas brasileiras, inclusive, mostram interesse em exportar o óleo de soja em detrimento de vendê-lo no mercado doméstico.

Fonte: Canal Rural

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.