Politica

Forças Armadas não cumprem ‘ordens absurdas’

Bolsonaro, Mourão e ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, assinam nota conjunta que enaltece o papel das Forças Armadas ao lado da democracia e da liberdade

Jair Bolsonaro, General Mourão e Fernando Azevedo assinam nota sobre Forças Armadas| Foto: MARCOS CORREA/PR
O presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão responderam a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre o artigo 142 da Constituição. Em nota conjunta assinada com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, eles destacam que as Forças Armadas não cumprem “ordens absurdas”.

A nota coloca panos quentes sobre a decisão, sem tensionar a decisão monocrática do ministro da Suprema Corte. Bolsonaro, Mourão e Azevedo destacam que, na liminar, Fux reconhece “o papel e a história das Forças Armadas sempre ao lado da democracia e da liberdade”.



Os três ressaltam, contudo, que as Forças Armadas estão sob a “autoridade suprema do presidente da República”. “As mesmas destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”, sustentam.

As Forças Armada, ponderam, não está a serviço para a tomada de poder, ainda que ao “arrepio das leis” ou “por conta de julgamentos políticos”. “As Forças Armadas não cumprem ordens absurdas, como, por exemplo, a tomada de poder. Também não aceitam tentativas de tomada de poder por outro poder da República, ao arrepio das leis, ou por conta de julgamentos políticos”, destacam.

Entrevista
O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, também refuta toda e qualquer ideia antidemocrática do uso das Forças Armadas. Em entrevista à revista Veja, classificou como “ultrajante e ofensivo” falar em “golpe” ao se referir ao Exército, Marinha e Aeronáutica. E garantiu que Bolsonaro “nunca pregou o golpe”.

Fonte: Revista Oeste

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.