Educação

Abraham Weintraub vai deixar o MEC, mas não o governo


O presidente da República, Jair Bolsonaro, bateu o martelo e Abraham Weintraub vai deixar o Ministério da Educação (MEC). Entretanto, isso não significa que o ministro mais combativo da Esplanada dos Ministérios não fará mais parte do governo. Bolsonaro busca uma alternativa na área econômica para Weintraub e uma possibilidade ventilada atualmente é remanejá-lo para o Banco Mundial.

As informações foram confirmadas pela Revista Oeste através de duas fontes governistas que acompanham diretamente as tratativas sobre o destino de Weintraub. A expectativa é que o anúncio ocorra nos próximos dias. De acordo com as fontes palacianas, a questão agora não é “se ele deixará o Ministério”, mas quando ocorrerá o anúncio oficial. Um detalhe: essas mesmas fontes anteciparam à Oeste a saída do ex-ministro Sérgio Moro e o remanejamento da atriz Regina Duarte da Secretaria Especial de Cultura.

Ministeriáveis
Para o lugar de Weintraub, o governo federal já está ventilando nomes como os de Carlos Nadalim, secretário de Alfabetização da pasta ou Ilona Becskeházy, secretária de Educação Básica. O Centrão, por sua vez, pressiona para realocar o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para a pasta. Os dois primeiros são nomes bem-quistos pela militância do presidente o que, na visão dos membros do Planalto, poderia minimizar os impactos negativos da saída de Weintraub. Tanto Nadalim quanto Ilona defendem a agenda conservadora do governo federal e são críticos ferrenhos do método Paulo Freire.

Fonte: Revista Oeste 

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.