Politica

Vereador tem mandato cassado por suspeita de participação em esquema de rachadinha

O vereador é investigado por manter um assessor fantasma no gabinete e fazer rachadinha, com o salário de assessores. Hoje (28), a Câmara de Vereadores vota pela cassação de outro vereador. 

Vereador Alceu Crestani, do PSD — Foto: Jacson Miguel Stülp / Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Sul
A Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, cassou, na quarta-feira (27), o mandato do vereador Alceu Crestani. Ele é suspeito de fazer rachadinha, com o salário de assessores, e de manter um funcionário fantasma no gabinete. Com a decisão, Crestani fica inelegível pela Lei da Ficha limpa por oito anos.

Na tarde desta quinta-feira (28), a Câmara de Vereadores vota pela cassação de Elo Schneiders (PSD), também suspeito de fazer rachadinha, entre outras irregularidades. Segundo a Câmara de Vereadores, os dois vereadores não agiam juntos.

A defesa de Crestani informou que vai pedir a nulidade da sessão à Justiça. Os advogados Ezequiel Vetoretti e Leo Henrique Schwingel alegam que o vereador Edmar Hermany (Progressistas) deveria ter se declarado impedido de participar da votação, pois atuou como advogado de defesa do vereador em determinado período.

Durante a sessão, a defesa sustentou a tese de falta de provas para as acusações contra o vereador. Entre elas, estavam os crimes de concussão, com exigência de parte dos salários de servidor da câmara de vereadores, a chamada rachadinha, considerado como uma prática de improbidade administrativa e como quebra de decoro parlamentar.

O vereador também foi acusado de peculato, a apropriação de valores públicos, por manter Júlio Cesar Mahl, um assessor remunerado por verba pública, em casa, realizando atividade privada. O crime também consiste como prática de improbidade administrativa e quebra de decoro parlamentar.

Fonte: G1 RS

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.