Notícia

MP denuncia mãe do acusado de matar família no Lami, em Porto Alegre

Neuza Regina Bitencourt Vidaletti vai responder pelos três homicídios triplamente qualificados, além dos crimes de omissão relevante causal, porte ilegal de arma e disparos de arma de fogo. 


A mãe de Dionathá Bitencourt Vidaletti, acusado de ter matado três pessoas da mesma família no bairro Lami, em Porto Alegre, no mês passado, também foi denunciada pelo Ministério Público pelas mortes. O pedido foi feito na quarta-feira (12).

Neuza Regina Bitencourt Vidaletti foi denunciada pelos três homicídios triplamente qualificados, além dos crimes de omissão relevante causal, porte ilegal de arma e disparos de arma de fogo.

O crime aconteceu no dia 26 de janeiro na Estrada do Varejão. Após uma briga de trânsito, Dionathá teria atirado contra o casal Rafael Zanetti Silva, 46 anos, e Fabiana da Silveira Innocente Silva, 44 anos, e o filho deles, Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20 anos. Ele foi preso dois dias depois.

Há duas semanas, Dionathá virou réu após a Justiça aceitar denúncia do MP feita pela promotora de Justiça Lúcia Callegari. O pedido, desta vez, é uma complementação ao processo, assinada pelo promotor de Justiça Eugênio Amorim.

Ele entendeu que Neuza teria sido a responsável por levar a arma até a discussão, além de atirar sem direção e não impedir que o filho pegasse a arma. De acordo com o promotor, houve omissão, o que colaborou para a prática do crime.

No entendimento da promotora Lúcia Callegari, os três homicídios e as duas tentativas de homicídio foram triplamente qualificados: por motivo fútil, resultando em perigo comum e mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas.

"Fútil o motivo do crime, pois praticado em razão de ter ocorrido uma batida na lateral do veículo momentos antes, motivo banal e desproporcional para o delito praticado. O delito foi praticado mediante perigo comum, pois realizado em local e horário de circulação de pessoas, próximo a estabelecimentos comerciais e a residências, o que poderia ter colocado em risco a vida de diversas pessoas. O crime também foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas, já que foram surpreendidas pela atitude do denunciado, que sacou a arma de fogo e desferiu disparos, dificultando reação de defesa ou fuga", explicou o MP.

Fonte: G1 RS


About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.