Polícia

Operação policial investiga esquema de extorsão de funcionários da prefeitura de São Nicolau

Suspeita é de que dinheiro obtido ilegalmente estava sendo usado para pagar contas de campanhas eleitorais

Mandados de busca foram cumpridos na prefeitura de São Nicolau e nas residências de autoridades municipais. Foto: Polícia Civil / Divulgação

A Polícia Civil realizou na manhã desta terça-feira (21) operação na cidade de São Nicolau, município de 5,7 mil habitantes na Região das Missões, para apurar supostos crimes eleitorais e contra a administração pública. A suspeita é de que ocorra caixa 2 no Executivo para financiar contas da última campanha eleitoral e da futura campanha à reeleição do prefeito, Ricardo Klein (PP), por meio de extorsão de servidores.

Foram cumpridos oito mandados de busca, nas casas do prefeito e de secretários (da Administração, Saúde e Educação) e nos gabinetes deles, autorizados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Não houve prisões.

A ação é realizada pela 2ª Delegacia da Divisão Estadual de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Foram pelo menos seis meses de apuração, coordenada pelo delegado Vinícius do Valle.

Devido à Lei de Abuso de Autoridade, não estão sendo repassadas informações sobre investigados.

Contudo, GaúchaZH apurou que os principais crimes investigados são os de falsidade ideológica e concussão, quando o funcionário público obtém vantagem se valendo do cargo que exerce. O dinheiro obtido com a suposta extorsão de parte dos salários de servidores — o que é ainda apurado, bem como o número de pessoas lesadas — seria para pagar contas da campanha eleitoral de Klein em 2016 e da possível campanha deste ano.

Em contato com a prefeitura de São Nicolau, a reportagem confirmou que Klein é pré-candidato à reeleição.
Polícia cumpre mandados em
gabinetes na Prefeitura. Foto: Polícia Civil
/ Divulgação

O secretário de Administração, Vilson Rodrigues, confirmou os cumprimentos de mandados nas residências e nos gabinetes, mas negou qualquer envolvimento com os crimes apurados. Ele disse ainda que desconhece o motivo da investigação e afirma que está perplexo com a ação policial.

— Nunca tivemos problemas. Acredito que seja denúncia de algum vereador de oposição. Mas nossa administração é limpa, não tem captação irregular de recursos aqui, por isso estamos perplexos com esse teatro — afirmou.

GaúchaZH ainda tenta contato com o prefeito Klein, mas aguarda retorno para contraponto. 


Fonte: Gaúcha ZH

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.