Notícia

Cobra cruzeira é encontrada em cama de criança em Alegrete

Foto: Alegrete Tudo

Na última quarta-feira uma dona de casa passou por um verdadeiro sufoco, na Zona Leste, em Alegrete. Ela encontrou um cobra, que tudo indica seja uma cruzeira,  no colchão da cama da filha de cinco anos.

Rafaela Machado conversou com o PAT (Portal Alegrete Tudo) e falou sobre o ocorrido. Ela disse que a casa está em obras, mesmo assim, mantém tudo limpo e organizado. A irmã que residia no mesmo terreno mudou-se e ela deu uma estante, por esse motivo, o esposo colocou os produtos que estavam na estante e deixou em cima da cama da filha para organizar no outro dia.

“Eu estava viajando e cheguei na segunda à noite. Na terça fiz uma limpeza em toda casa, organizei a cama da nossa pequena, tirei os lençóis. Até aí, tudo normal, jamais imaginaria que teria uma cobra no quarto” – contou.

Porém, a irmã de Rafaela foi em sua casa e há mais de quatro anos falava a respeito de uma guarda para cama da sobrinha. “Já era quase meia noite quando minha irmã disse que iria colocar a guarda na cama, naquela noite, foi uma decisão que protelava-mos. De tanto que insistiu e minha filha estava na casa da avó, fomos arrumar antes de dormir. Quando levantei um dos colchões da cama dela, vi a cobra. Na hora fiquei em choque e chamei meu marido. O resumo é que ficamos acordados até às 5h revirando cada canto da casa.” – lembrou.

Rafaela comentou que decidiu postar no face para alertar outras famílias. A cama da filha está no mesmo quarto do casal até a conclusão da obra. Naquela noite a filha não estava em casa, mas a cobra poderia ir para a cama do casal ou até mesmo na noite seguinte picar a criança que dormiu na cama.

“Desde aquela noite, virou uma obsessão olhar cada canto e, mesmo com a obra, minha casa é sempre organizada. Imagina as residências que não há muita limpeza” – destacou.

A dona de casa reside no bairro Nossa Senhora da Conceição, depois da Saint Pastous, quase na divisa com o bairro Ulisses Guimarães.  Ela informou que o surgimento das serpentes naquela região iniciou quando começaram as obras da Avenida Tiaraju.

“Acredito que foi por Deus, minha filha não estava, minha irmã me torturou por algo que há anos estávamos protelando. Até mesmo pelo horário, tudo conspirou a favor e minha família está bem. Aquela cobra é venenosa”- falou.

Rafaela ainda disse que jamais imaginou que iria passar por um sufoco assim. Por mais que a casa ainda não tenha forro, as portas e janelas são bem fechadas à noite. Outra situação que a intriga é o fato de não saber o tempo em que a serpente estava ali.

Fonte: Flaviane Antolini Favero / Alegrete Tudo

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.