Polícia

Mãe e companheira são suspeitas de esquartejarem criança de 9 anos

Conselho Tutelar localizou outras partes do corpo da vítima, de 9 anos, dentro de mochila na casa da família.

Quadra em Samambaia, no DF, onde menino de 9 anos morava — Foto: Arquivo pessoal

Distrito Federal — Na madrugada deste sábado (1º), o corpo de uma criança de 9 anos foi encontrado esquartejado dentro de uma mala deixada na quadra QR 425 de Samambaia, no Distrito Federal. Partes da vítima foram localizadas por moradores da região.

De acordo com a Polícia Civil do Distrito Federal, a suspeita é de que a mãe do menino, Rosana Auri da Silva Cândido, de 27 anos, tenha cometido o crime com a ajuda da companheira dela, Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa, 28. As duas estavam em casa quando a polícia chegou.

Na residência, próximo ao local onde o corpo foi encontrado, os agentes localizaram também duas mochilas que supostamente guardavam outras partes do corpo da vítima. Uma criança de 8 anos também estava na casa e foi levada para um abrigo pelo Conselho Tutelar.
Mulheres suspeitas de matar e esquartejar menino
de 9 anos no DF — Foto: PCDF/Divulgação
Segundo a conselheira responsável pelo caso, Cláudia Regina Carvalho, a menina teria dito que a "mãe matou o irmão". Na delegacia, os policiais afirmaram que o corpo do menino foi "queimado em uma churrasqueira".

Até as 9h30 deste sábado, as mulheres suspeitas do homicídio continuavam detidas. O caso está sendo investigado pela 26ª Delegacia de Polícia, na mesma região.

A investigação

De acordo com a investigação, o crime ocorreu na noite de sexta-feira (31). Por volta de 1h30, um grupo de jovens que jogavam futebol em uma quadra de Samambaia Norte viu uma mulher deixando uma mala em um bueiro.

Por estranharem a situação, o grupo teria verificado o interior da mala e, ao perceber que se tratava de partes de um corpo, chamaram a Polícia Militar. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil também foram acionados.

Com base em depoimentos de testemunhas, a PM localizou o endereço da mulher suspeita. Como havia uma outra criança no local, os policiais chamaram o Conselho Tutelar.

Neste sábado (1º), a criança que presenciou o crime foi levada para o Instituto Médico Legal, onde passou por exames.

Fuga do Acre

Segundo o delegado Guilherme Melo, que investiga o caso, Rosana e Kacyla são naturais de Rio Branco, no Acre, e fugiram de lá com as crianças – há cinco anos – depois que perderam a guarda dos filhos para os pais.

A família morava em Samambaia, no DF, há dois meses. Os vizinhos disseram que os meninos não frequentavam a escola e não tinham contato com a rua.


G1

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.