Polícia

Suspeito pelo assassinato de Maria Eduarda Zambom é transferido para ala de presos de Porto Alegre

Maria Eduarda Zambom, 15 anos, sumiu no dia 29 de março no trajeto para o colégio e foi encontrada morta na manhã seguinte

Foto: Reprodução

No final da tarde desta segunda-feira (08), o motorista de transporte escolar, de 52 anos, suspeito de ter matado adolescente Maria Eduarda Zambom, de 15 anos, saiu da UTI e foi para um quarto, no Hospital de Caridade de Ijuí. Ele estava internado desde a data do crime, com ferimentos na região do pescoço, supostamente provocados por tentativa de suicídio a facada.

A justiça autorizou a transferência dele para uma ala de custodiados do Hospital Conceição de Porto Alegre, restrito para presos, nesta terça-feira (09). Ambulância da Prefeitura Municipal de Catuípe, escoltada por viatura da SUSEPE levará o motorista.

No início da manhã desta terça-feira (09), o delegado Gustavo Rodrigues Arais, titular da Delegacia de Polícia de Catuípe, esteve no quarto para interrogá-lo, mas o suspeito não conseguia falar, nem escrever. "Em conversa com o médico ele disse que o paciente está com complicações nas cordas vocais e usando um aparelho na traqueia", diz o Delegado.


"Assim que ele tiver alta será encaminhado pela SUSEPE ao Presídio de Ijuí, quando seremos informados e daí pediremos autorização judicial para conduzi-lo até a DP para ser interrogado', afirma o titular da Delegacia de Polícia de Catuípe



Maria Eduarda Zambom, de 15 anos, residia no interior do município de Catuípe com a família. O corpo da menina, foi localizado na manhã de sábado, dia 30 de março, em um denso matagal, com sinais de asfixiada, após ser dada como desaparecida na tarde da sexta-feira (29/03). Havia perto dela um tênis e um cobertor com sangue. A possibilidade de violência sexual na jovem está sendo apurada. 


A polícia acredita que ele tenha tentado se matar após assassinar a vítima. Em depoimento, após o crime, familiares de Maria Eduarda confirmaram que ela reclamava do comportamento do suspeito e tinha medo de ser morta. A mãe da adolescente afirmou que pretendia ir à Secretaria de Educação de Catuípe pedir que o motorista fosse trocado. O transporte usado pela vítima era fornecido pelo município.
Local onde foi encontrado o corpo de Maria Eduarda. Foto: Janio Fernandes / Rádio Jornal da Manhã
Manifesto
Na tarde deste domingo (07), moradores realizaram uma caminhada pelas principais ruas de Catuípe, para manifestar a inconformidade pela morte da estudante. Participaram do manifesto familiares, estudantes, comunidade local, e grupos de outras cidades. Segundo a Brigada Militar, cerca de 500 pessoas participaram do ato.


Fonte: Blog Missioneiro

About Blog Missioneiro

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.